Info

Seca grave.Município de Santiago do Cacém convida Ministra da Agricultura

A Câmara Municipal de Santiago do Cacém enviou um convite à Ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, para visitar a região de Campilhas e Alto Sado e inteirar-se do cenário dramático que aqui se vive devido à falta água para a rega dos 3800 ha de área beneficiada pelas duas albufeiras.
O Presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, o Presidente da Associação de Regantes e Beneficiários de Campilhas e Alto Sado, Joaquim Matias Chainho, o Presidente da Associação de Orizicultores de Portugal, Carlos Parreira do Amaral, e o Presidente da AlenSado, Cooperativa Agrícola do Sado, Idálio Espada, manifestam a sua preocupação com os 1150 ha de arroz, os 950 ha de milho, os 350 ha de tomate, os 550 ha de prados e forragens, os 200 ha de hortícolas e 600 ha de outras culturas que não vão ser efetuadas, “com claro prejuízo para os agricultores e para a economia regional e nacional”, sublinha a missiva.
A carta enviada à Governante, assinada pelo Autarca em nome das entidades preocupadas com esta realidade, refere que “a dimensão do problema é grave, pois aqui incluem-se alguns setores que asseguram a autossuficiência alimentar do País e que contrariam o défice estrutural da balança agroalimentar, por via das exportações. Em termos regionais são mais de sete milhões de euros que deixam de vir para a região.” Reconhecendo que as ligações à Barragem do Alqueva permitem a rega de 3000 ha com água proveniente desta albufeira, com perspetivas de aumento através da nova ligação que será concretizada no próximo ano e que vai permitir regar mais 600 ha. “Neste cenário surge um contraste gritante entre um bloco de rega que está a trabalhar em pleno, com uma enorme dinâmica e vitalidade, ao mesmo tempo que a restante área e os restantes agricultores não têm qualquer água para rega”, prossegue o convite.
Com o intuito de dar a conhecer as dificuldades que a região de Campilhas e Alto Sado está a atravessar, o Presidente da Autarquia e as restantes entidades solicitam a atenção da Ministra Maria do Céu Albuquerque para que numa visita ao terreno se possa inteirar da situação e, desta forma, contando com o apoio do Ministério da Agricultura, encontrar-se soluções para o futuro.
Álvaro Beijinha, em declarações, espera que, durante a deslocação da Ministra da Agricultura à região, seja possível “discutir medidas de apoio para estes agricultores que estão a viver uma situação complicada e a própria associação de regantes, que vive da venda da água e tem um conjunto significativo de trabalhadores, atravessa grandes dificuldades. Estas são matérias determinantes para o futuro da agricultura no nosso Concelho.”
De sublinhar que apesar de um ano em que a precipitação foi relativamente abundante em quase todo o território nacional, esta região encontra-se numa situação de escassez de água, o que é um claro reflexo dos efeitos das alterações climáticas.

Covid19 Abertura

A ARBCAS iniciou a abertura condicionada do atendimento:  

Relatório/Contas 2019

Foi aprovado, no passado dia 23/06/2020, em Assembleia Geral, o Relatório e Contas do 65º Exercício – 2019.

Infelizmente, em resultado da falta de água nas albufeiras, confirmou-se o maior défice da história da ARBCAS: – 377.179€.

É o terceiro ano consecutivo com défice, tendo-se acumulado nos últimos três anos um défice total de 431.025 €. Esta situação será agravada, sendo certo que o presente ano será o quarto ano consecutivo com resultado negativo, com um valor de défice que também será assinalável, uma vez que o orçamento aprovado contempla uma despesa superior á receita em 430.000 €.

É o resultado de quatro anos de seca, com poucas ou nenhumas reservas de água nas albufeiras do Monte da Rocha, Campilhas e Fonte Serne. Felizmente tínhamos reservas financeiras para suportar um período difícil, como o que estamos a viver. No entanto, essas reservas vão terminar este ano, sendo certo que não poderemos continuar a aguentar a sucessão de anos sem a matéria que nos move, a água.

É a ARBCAS e os agricultores desta região que estão em dificuldades. Em 2017 ficaram por fazer 306 ha de regadio, em 2018 ficaram por fazer 389 ha de regadio, em 2019 ficaram por fazer 1995 ha de regadio e em 2020 ficaram por fazer 3550 ha de regadio.

E não foi mais grave para alguns agricultores porque existe uma ligação a Alqueva que permite que uma parte significativa do aproveitamento hidroagrícola do Alto Sado possa ter água a partir desta origem. No entanto, o elevado custo desta água tem asfixiado financeiramente a ARBCAS, uma vez que o seu modelo de gestão não tem previsto a aquisição da maioria da água consumida a uma entidade externa – a EDIA – mas sim a gestão de água própria com complemento de aquisição de água externa. Para ser uma ordem de grandeza, entre 2016 e 2019 a ARBCAS comprou 26.900.000 m3 à EDIA, o que representou um custo de 730.780 €. No presente ano deveremos ter mais um encargo na ordem dos 450.000 € com aquisição de água à EDIA.

As ligações de Alqueva deveriam ser um complemento à água existente nas albufeiras e nunca a única origem de água, em anos consecutivos. Nenhuma Associação é sustentável e pode sobreviver com esta dependência e estes encargos.

Se não vier a haver reservas de água nas albufeiras do Monte da Rocha, Campilhas e Fonte Serne, no próximo Inverno, o futuro desta Associação será preocupante. Está em causa a salvaguarda dos 26 postos de trabalho e a conservação e manutenção de 5 barragens e os 275 Kms de canais e regadeiras.

ARBCAS na FENAREG

Ontem, 25 de junho de 2020, em Assembleia-Geral extraordinária, foram eleitos os Corpos Sociais da FENAREG para o triénio 2020-2022.

A ARBCAS foi reeleita, assumindo a Presidência da Assembleia Geral, cargo em que é representada pelo Engº Ilidio Martins.

saber mais

Apoiar os Bombeiros

A ARBCAS ofereceu mascaras de combate a incêndios aos Bombeiros Voluntários de Alvalade, no valor de 750 €

 

Covid19 Plano

Está em vigor o Plano de Contingência da ARBCAS para o COVID19

Assembleia Geral

Realizou-se no passado dia 23/06/2020 a Assembleia Geral ordinária da ARBCAS que aprovou o relatório e contas do 65º Exercício - 2019

Também foi aprovado o ajuste tarifário e a adesão da ARBCAS à CAP

 

PDR2020 Execução

Estão concluídas as obras candidatadas no âmbito do PDR2020. 

Ligações Alqueva

No âmbito do Programa Nacional de Regadio, está a decorrer a execução da empreitada de ligação de Alqueva à barragem da Fonte Serne. Esta obra é da responsabilidade da EDIA,

Estrada Nacional 261/2,
Alvalade Sado
7565-014 ALVALADE

Telef. 269 590 034; 269 595 127

Telem.  961 407 231

arbcas@sapo.pt
arbcas@mail.telepac.pt
arbcas1@gmail.com
arbcas@hotmail.com